domingo, 6 de janeiro de 2008

Agora sobre a gélida Alemanha

Foi assim que tudo se passou:
Arranquei apressado, amanhei-me no camião e bota para a estrada que se faz tarde. Depois foi sempre a malhar de noite até à Alemanha, para lá com bom tempo mas na volta com uma tempestuosa chuvada até Valladolid.
Destrinçando a coisa por miúdos posso contar-vos que atravessamos a França toda de noite para estarmos a tempo em Korvach, pequena cidade ou vila nos arrabaldes de Colónia. As estradas na Alemanha sao demoniacas tudo em obras e vias delgadas como fios de cabelo, claro do grisalho, também não exageremos, eheh. Mas fiquei espantado porque na Alemanha as fábricas tem boas condições para os camineros: limpeza e comodidade, ao contrário da Itália que nos tratam pior que cães assanhados, neste aspecto, porque parece que os italianos gostam muito dos camionistas, mas livra dessa rapaz...eu continuo na minha firme convicção, eheheh
Falando ainda da França, Paris é enormidade descomunal, cidade luz também é vero, mas porra, quatro horas para atravessa-la de ponta a ponta é obra...nunca vi uma coisa assim. Os carros não descolam formando uma fileira que mais se assemelha a carreiras de brugos dos pinheiros.
As rectas parecem infindas, não alcansando um falcão o seu longinquo terminus...então a recta de Bordéus, parace o caminho de São Tiago, esse caminheiro de pés incansável e insassiável no desbravar de novas terras...
Agora já na Alemanha, que catano, não percebo patavina de Alemão, parece que estao a comer nozes enquanto enrrugam a língua para falar, raios partam tal lingua mais quem a inventou...embora sejam muito organizados, fiquei abismado! E as salsishas...mais parecem é um paio portuga mais dotadas de comprimento, ehehe.
Olhem mais uma vez provoquei uma binha na portagem porque teimava em colocar na ranhura o cartão espanhol em vez do françês, já apitavam e tudo...a arrancar já nem acertava as mudanças, :). Mas é sempre em frente e fé em Deus.
Já na vinda, decidimos encostar a cabeça na almofoda em Araia, na grande área de serviço. Era só portugueses e olhem foi malhar litros de coca cola enquanto os outros malhavam litros de canhas (finos), ... e foi como vos digo que cheguei a casa às 14 horas de hoje.
Fiquem bem

2 comentários:

Sandrita disse...

Olá Joni!

Que bela ideia teres criado este blog, assim podemos acompanhar-te nas tuas aventuras em TIR :) Espero que tenhas muitas boas viagens por esse mundo fora. Eu, deste lado, ficarei à espera das novidades.

Tânia disse...

Olá meu Joni,

sabes que te admiro pela belíssima pessoa que és! A partir dos post's podes e deves continuar a invadir-nos com a tua boa disposição...

Faço força por ti e quero que sejas feliz!

Acompanhar-te-ei nas tuas viagens loucas que me fazem rir às gargalhadas cada vez que termino de ler uma frase (lol)..

Beijinho grande